Não deu pro Mengão. Com um empate por 1 a 1, o Fluminense se classificou para a final da Taça Rio, contra o Botafogo.

No primeiro tempo, o Flamengo teve o domínio territorial, mas o time tricolor, armado com um esquema fechado 5 – 3 – 2, não deu trégua nem espaço para os atacantes do Mengão criarem muitos lances de grande perigo.

Aos 7 minutos, Henrique Dourado pega rebote na entrada da área e finaliza por cima do gol de Júlio César. Aos 9, Henrique Dourado cabeceia na pequena área, mas fracamente e em cima do goleiro, que faz fácil defesa.

Aos 15 minutos, Ibañez desvia de cabeça um escanteio cobrado por Sornoza e a bola explode na face de Renê, enquanto jogadores tricolores pedem um pênalti imaginário. Um minuto depois, Pedro recebe na área e chuta rasteiro, rente à trave de Diego Alves.

A partir daí, o jogo fica muito truncado, com várias faltas e cartões amarelos para os dois times.

Aos 27 minutos, em jogada ensaiada, Diego lança bola longa e Réver entra de carrinho, mas não consegue jogar a bola para as redes. Aos 37 minutos, novamente Dourado perde um gol, chutando fraco e no meio do gol bola cruzada por Rodinei. Nesta altura do jogo, o Fla dominava as ações.

Mas aos 40 minutos, um prenúncio do desastre. Ayrton faz grande jogada pela esquerda, driblando quatro jogadores rubro-negros e chutando cruzado para grande defesa de Diego Alves. Aos 46 minutos, Sornoza cobra escanteio pela esquerda, Diego Alves e a zaga não sobem e Gum cabeceia livre no canto inferior direito, marcando o primeiro gol da partida. Castigo para o Mais Querido.

Voltando com Vinícius Júnior no lugar de Renê, o Fla tentou o empate desde o reinício da partida. Com as jogadas de ataque concentradas na esquerda, o atacante levou perigo em vários momentos, com cruzamentos e dribles ousados.

Paquetá quase marca aos 10 minutos, com chute certeiro que só não entrou porque bateu no zagueiro Ibañez. O Flu se fechava na defesa e saía com perigo em ataques velozes. Aos 15 minutos, Pablo Dyego, que entrou no lugar de Marcos Júnior, quase marca. Aos 21 minutos, em novo contra-ataque, Pedro chuta com perigo por sobre a meta de Diego Alves.

Aos 22 minutos, Carpegiani coloca Cuéllar no lugar de Éverton Ribeiro e o Fla consegue melhor domínio dos rebotes ofensivos. Aos 25, Jonas cabeceia com perigo no canto esquerdo, mas Júlio César fez grande defesa, colocando para escanteio.

Somente aos 40 minutos, o gol de empate. Após grande pressão rubro-negra, num rebote após chute de Rodinei, Éverton Cardoso acertou um foguete no ângulo direito, sem defesa para o arqueiro tricolor. A virada quase aconteceu com Vinícius Júnior numa arrancada de contra-ataque, deixando os zagueiros para trás. Mas o chute cruzado apenas passou perto da trave direita.

E não havia tempo pra mais nada. Abel soube mais uma vez montar o Fluminense em um esquema defensivo muito efetivo e neutralizou o time do Mengão.

Novamente, os destaques positivos ficaram por conta de Lucas Paquetá e Vinícius Júnior. Paquetá lutou o tempo todo, alternando presença no ataque com organização no meio campo. E Vinícius Júnior levou a defesa tricolor ao desespero durante todo o segundo tempo e o técnico Abel teve que concentrar quatro jogadores para marcá-lo. Os laterais, como tem sido ao longo deste ano, foram os destaque negativos. Renê e Rodinei foram frequentemente dominados pelos jogadores do Flu e falharam constantemente nos momentos ofensivos.

O Flamengo agora terá que esperar a decisão da Taça Rio para conhecer seu adversário na decisão do Campeonato Carioca 2018.

E o farol amarelo se acende na Gávea.

OS ARTISTAS DO ESPETÁCULO

FLUMINENSE X FLAMENGO

Fluminense: Júlio César; Gilberto, Gum, Renato Chaves; Ibañez e Ayrton; Jadson, Richard (Douglas) e Sornoza; Marcos Júnior (Pablo Dyego) e Pedro (Marlon).

Flamengo: Diego Alves; Rodinei, Réver, Juan e Renê (Vinícius Júnior); Jonas; Lucas Paquetá, Diego Ribas, Éverton Ribeiro (Cuéllar) e Éverton Cardoso; Henrique Dourado (Felipe Vizeu).

Foto: www.flamengo.com.br

Deixe uma resposta