Mantendo o seu perfil bem racional e educado em suas respostas, o treinador Paulo César Carpegiani não fugiu de perguntas polêmicas em coletiva de imprensa.

Sobre o famoso Chororô, mostrou-se incomodado com a postura do Botafogo. “São coisas que acontecem”. “Foi para nossa torcida (a comemoração do Chororô), que por coincidência, estava na mesma direção do banco do Botafogo”. O técnico ainda disse que não quer julgar a decisão, mas que o futebol é muito mais importante do que esses pequenos detalhes. Disse também que não gosta de provocação. Para ilustrar, lembrou que, aos 15 minutos do segundo tempo, quando a torcida gritava “Olé”, ele pediu para seus jogadores pararem de dar toques laterais e voltarem a buscar o ataque, de forma a respeitar o adversário.

Falou também sobre a importância de Diego Alves, que além de grande goleiro, é um dos líderes dentro de campo, inclusive dando bronca nos atletas quando os mesmos não apresentam a dedicação necessária. Deixou claro que, assim que o treinador de goleiros o liberar, o que deve acontecer Domingo ou quarta-feira, o mesmo voltará a ser titular.

Deixe uma resposta